Novembro Azul

Comissão de Valores Mobiliários

Você está aqui:

Notícias

13/03/2020

Coronavírus: Orientações para intermediários

CVM alerta para possível adoção de plano de contingência devido à estresse operacional de TI

Durante situações de estresse do mercado em razão do COVID-19, o volume de operações tende a crescer, podendo superar a capacidade suportada pela atual estrutura de tecnologia da informação do intermediário atuante no mercado de capitais.

Devido ao cenário do Coronavírus, outras situações também podem ocorrer, como realização de operações por telefone ou aumento no número de intermediários trabalhando remotamente.

Adicionalmente, é possível que, caso esse tipo de situação de estresse se materialize, boa parte da força de trabalho do intermediário tenha de trabalhar remotamente por razões de segurança sanitária.

Diante disso, a CVM traz orientações a esses participantes, devendo estar preparados para esses eventos de risco, elaborando um plano de contingência que contemple as alternativas e continuar prestando seus serviços adequadamente. Essa ação deve ser discutida e aprovada pela alta administração do intermediário, comunicado aos funcionários e prever a forma, conteúdo e timing de eventual comunicação aos clientes e público em geral.

Segundo Francisco José Bastos Santos, Superintendente de Relações com o Mercado e Intermediários, o objetivo da área técnica da CVM é destacar a necessidade de atuação preventiva desses regulados, a fim de garantir o melhor interesse do cliente para a execução de ordens por ele comandadas.

“O primeiro passo importantíssimo do intermediário diante desse cenário de possível estresse decorrente do Coronavírus é não improvisar e ter já desenvolvido e disseminado internamente um plano de contingência adequado para a situação. Adicionalmente, é fundamental, caso esse tipo de cenário se materialize, uma comunicação direta e simples com seu cliente, informando-o com clareza sobre possíveis impactos nos serviços oferecidos, como atuará nessa situação e se mostrar disponível e acessível para qualquer necessidade” – Francisco Bastos (Superintendente da SMI/CVM)

Independentemente do tipo de atendimento a ser implementado por meio do plano de contingência, o Superintendente destaca que o essencial é manter tranquila, contínua, clara e segura a interação com seus clientes, bem como treinar suas equipes de trabalho para assegurar a qualidade no nível de serviço prestado, mesmo diante da situação de estresse causada pelo Coronavírus.

 

Mais informações

Acesse o Ofício Circular CVM/SMI 02/2020, que contém detalhes das orientações da área técnica da CVM, inclusive com indicação de normas a respeito da adoção de plano de contingência e ações para eventos de risco. 

Voltar ao topo