Comissão de Valores Mobiliários

Você está aqui:

Notícias

Wed Jun 23 00:00:00 BRT 2010

Audiência Pública: pronunciamento CPC 01 (R1) sobre Redução ao Valor Recuperável de ativos

Comissão de Valores Mobiliários

 

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) coloca em audiência pública hoje, 23/06/2010, minuta de deliberação que aprova o Pronuciamento Técnico CPC 01 (R1) – Redução ao Valor Recuperável de Ativos, emtido pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC).

Conforme divulgado anteriormente, após a conclusão da segunda etapa da emissão das normas de convergência, o CPC havia assumido o compromisso de revisar e atualizar todos os documentos por ele emitidos. O objetivo é tornar todos esses documentos totalmente adaptados às normas internacionais de contabilidade emitidas pelo IASB - International Accounting Standards Board.

Esse processo de revisão, que teve início no final de 2009 quando revisões pontuais foram realizadas, continua em 2010 abrangendo todos os documentos emitidos desde o Pronunciamento CPC 01, divulgado em 14 de setembro de 2007.

A proposta de revisão do CPC 01 contempla as alterações feitas pelo próprio IASB durante 2008 e 2009 e, ainda, certas compatibilizações de texto para deixar claro que a intenção do Pronunciamento é produzir os mesmos reflexos contábeis que a aplicação do IAS 36. Essas modificações propostas não alteram a essência do Pronunciamento original, de modo que a aplicação da versão revisada do Pronunciamento não deve provocar valores contábeis diferentes dos anteriormente apurados.

As sugestões e comentários, por escrito, deverão ser encaminhados, até o dia 23 de julho de 2010, à Superintendência de Normas Contábeis e de Auditoria, preferencialmente através do endereço eletrônico: AudPublicaSNC0510@cvm.gov.br.

Acesse, na página de Audiências Públicas do Portal, o Edital de Audiência Pública com a minuta de Deliberação e a versão da minuta do CPC 01 (R1) com as marcas da revisão proposta, caso a proposta de alteração seja integralmente transformada em norma.

 

Voltar ao topo